sexta-feira, 31 de julho de 2009

o amor é importante, porra!

Uma semana de férias e eu caí novamente para São Paulo. Não tem jeito: a cidade é gigante, caótica, rola uma overdose de informações e de sentidos, mas eu adoro isso aqui. Estou descansando, ao meu modo, enquanto caminho pelas ruas e exercito a capacidade de flanar e me perder. Também descanso vendo mil exposições interessantes, como a da Sophie Calle e do Jean Dubuffet. O ano da França no Brasil está rendendo muita coisa bacana por aqui.

Essa cidade me aguça os sentidos. Só andar por essa região da Paulista rendeu ótimas descobertas: uma padaria lindinha chamada Benjamin Abrahão, onde tomei café da manhã algumas vezes; uma kebaberia deliciosa, Kebabel, bem aqui na Augusta, que vai render um post específico de tanto que eu fui lá (viciei, minha gente, mas a comida é boa demais!!); uma casa de jazz numa vielazinha escondida, chamada Syndikat, onde os músicos incluem jazz cigano no repertório; um café com o melhor cappuccino que tomei aqui, chamado Santo Grão, nota 10 pra latte art deles. Inspiração total, sinestesia, enfim. Estou encantada, como sempre, e não me canso de descobrir novas coisas.

Agora vamos ver uma exposição do Serge Gainsbourg, que eu descobri que foi um multiartista: conhecia o lado músico, mas o homem foi tudo!! Acho que hoje rola uma festa no Sesc também, com músicos influenciados por ele...ai ai ai.

Sinto falta de uma janela com a vista que tenho aqui, onde eu pudesse sentar num meio de tarde desses e escrever vendo a cidade me ver. Até desse céu cinza eu estou gostando. Ô vida besta! Fulô acabou de chegar mostrando as compras pro Fellini Caffè. Estamos todos inspirados, é isso. Cada um na sua jornada pessoal. Igor pesquisa cursos de teatro, vamos agora ver como funciona o ingresso no CPT do Antunes Filho. Eu penso, caminho, olho, escrevo algumas coisas num caderninho e leio poesia. O artigo que eu deveria começar aqui vai ficando pra depois, enquanto eu me remonto a cada quarteirão. Porque o imaginário pulsa nas ruas, nas pichações filosófico-existenciais (o que dizer de "o amor é importante, porra!" no meio da Augusta ou de "viver dói" grafado no muro do cemitério?), no tanto de humano, demasiadamente humano, que vejo por aqui.

2 comentários:

Mundoloco disse...

Aaaaiiii, São Paulo! poisé amiga, tudo de bom. Adorei seu brog.

Anônimo disse...

Brilhanterrimo!!!

Fiz uma listinha breve com todas suas citações sobre os points da Avenida Paulista, rsrs, e pode ter certeza que os visitarei com minha futura bem futura namorada e direi bem pertinho dela “O amor é importante, porra.”

Adorei seu blog, visitarei com mais freqüência.

18 dias no Japão

Foram 18 dias de sonho e muitas caminhadas pelo Japão. Começamos por Tokyo, onde ficamos por 4 dias. A ideia era entrarmos em contato com c...